segunda-feira, 1 de setembro de 2014

ESTUDO DO LIVRO DEPOIS DA MORTE DE LEON DENIS - *ALEM TUMULO ... CAP. 34 - ERRATICIDADE - CAP. 35 - A VIDA SUPERIOR - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH) - 01-09-2014

http://youtu.be/lfjIhKdHGII

LIVRO " O ESPÍRITO DA VERDADE " - CHICO XAVIER E WALDO VIEIRA

SEM IDOLATRIA
Cap. XXI – Item 8

“Não vos façais, pois, idólatras...” – Paulo.
(I Coríntios, 10: 7)

Núcleos religiosos de todos os tempos e mesmo certas práticas, estranha à religião, têm usado a idolatria como tradição fundamental para manter sempre viva a chama da fé e o calor do ideal.
O hábito vinculou-se tão profundamente ao espírito popular que, em plena atualidade, nos arraiais do Espiritismo Cristão, a desfraldar a bandeira da fé raciocinada, às vezes, ainda encontramos criaturas tentando a substituição dos ídolos inertes pelos companheiros de carne e osso da experiência comum, quando chamados ao desempenho da responsabilidade mediúnica.
Urge, desse modo, compreendermos a impropriedade da idolatria de qualquer natureza, fugindo, entretanto, à iconoclastia e à violência, no cultivo do respeito e da compreensão diante das convicções alheias, de modo a servirmos na libertação mental dos outros na esfera do bom exemplo.
A advertência apostólica vem comprovar que a Doutrina Cristã, em sua pureza de fundamentos, surgiu no clima da Galiléia, dispensando a adoração indébita, em todas as circunstâncias, devendo-se exclusivamente à interferência humana os excedentes que lhe foram impostos ao exercício simples e natural.
Assim, proscreve de teu caminho qualquer prurido idolátrico em torno de objetos ou pessoas, reafirmando a própria emancipação das algemas seculares que vêm cerceando o intercâmbio das criaturas encarnadas com o Reino do Espírito, através da legítima confiança.
Recebemos hoje a incumbência de aplicar, na edificação do bem desinteressado, o tempo e a energia que desperdiçávamos, outrora, à frente dos ídolos mortos, de maneira a substancializarmos o ideal religioso, no progresso e na educação, prelibando as realidades da Vida Gloriosa.

Emmanuel

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

O EVANGELHO NO LAR - "CORAÇÕES CEVADOS" - LIVRO FONTE VIVA - 29-08-2014 - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS- EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH)

http://youtu.be/mfGdfDajNcw

LIVRO " O ESPÍRITO DA VERDADE " - CHICO XAVIER E WALDO VIEIRA

ESPERANDO POR TI
Cap. XII – Item 8

Antes de pronunciares a frase amarga que te explode no coração, tentando romper as barreiras da boca, pensa na bondade de Deus, que te envolve por toda parte.
A Natureza é colo de mãe expectante...
Assemelha-se a luz celeste ao olhar do próprio amor que te ergue, às ocultas, e o ar que respiras é assim como o sopro da ternura de alguém, a estender-te alimento invisível.
Tudo serve em silêncio, esperando por ti.
Abre-se a via pública, aos teus pés, à feição de amistoso convite, a água pura está pronta a mitigar-te a sede, o livro nobre aguarda o toque de tuas mãos para consolar-te, e o fruto, pendendo da árvore, roga, humilde, que o recolhas.
Pensa na bondade de Deus e não digas a palavra que desencoraje ou amaldiçoe.
Cala-te, onde não possas auxiliar.
Deixa que tua alma se enterneça, ajudando nas construções do Bem Eterno, que tudo nos dá, sem nada exigir.
E compreenderás, então, que Deus te oferece a vida por Divina Sinfonia e que essa Divina Sinfonia pede que lhe dês também tua nota.

Meimei

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

ESPIRITISMO DE KARDEC - "TEMA-LIVRE" - www.virtual.espiridigi.net - 28-08-2014 - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH)

http://youtu.be/wV7apa-IyqQ

LIVRO " O ESPÍRITO DA VERDADE " - CHICO XAVIER E WALDO VIEIRA

NA TAREFA DE AJUDAR
Cap. XIII – Item 11

Auxilie a quem lhe procure a presença, mas não se esqueça de socorrer diretamente quem padece à distância.
Transfira a cooperação alheia aos lares menos aquinhoados, porém não se desobrigue de contribuir com a sua quota de ajuda pessoal.
Distribua o que lhe sobre à mesa, tanto quanto no guarda-roupa e na bolsa: contudo, siga além, doando a quem sofre os recursos positivos de seu sentimento.
Empreste, com justiça, o que lhe peçam; no entanto, não menospreze transformar os seus empréstimos em dádivas fraternais.
Colabore indiscriminadamente para o bem de todos aqueles que lhe estejam próximos; todavia, esforce-se por aprimorar os métodos da sua colaboração para ajudar melhor.
Organize a sua vida em disciplina rigorosa no dever cumprido; ainda assim, faça o tempo de persistir no trabalho de assistência aos irmãos em luta maior.
Atenda ao estômago faminto e ao corpo enfermo do companheiro em provação; entretanto, não recuse favorecê-lo com a palavra consoladora e com o livro nobre.
Seja o intermediário entre distribuidores generosos e corações menos felizes; porém, não deixe de convidar, aos que se beneficiam materialmente, a se beneficiarem, do ponto de vista moral, nas visitas de socorro evangélico e solidariedade humana Dê o máximo de suas possibilidades no amparo aos semelhantes, mas não se satisfaça com os resultados obtidos, buscando enriquecer os seus dotes de eficiência no plantio da caridade.
Exemplifique a beneficência, tanto quanto lhe seja possível, em todas as circunstâncias; contudo, prefira a naturalidade e a discrição para revestir as suas mínimas atitudes.
Lembre-se de que, na tarefa de ajudar, o bem maior é sempre aquele que ainda está por fazer, à espera da nossa disposição.

André Luiz

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

ESTUDO DO LIVRO DEPOIS DA MORTE DE LEON DENIS - *ALEM TUMULO ... CAP. 33 - A VIDA NO ESPAÇO - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH) - 27-08-2014

http://youtu.be/mSvNZNqVA6k

LIVRO " O ESPÍRITO DA VERDADE " - CHICO XAVIER E WALDO VIEIRA

RIQUEZA E FELICIDADE
Cap. XVI – Item 5

Há ricos do dinheiro, tão ricos de usura, que se fazem mais pobres que os pobres pedintes da via pública que, muitas vezes, não dispõem sequer de um pão.
Há ricos de conhecimento, tão ricos de orgulho, que se fazem mais pobres que os pobres selvagens ainda insulados nas trevas da inteligência.
Há ricos de tempo, tão ricos de preguiça, que se fazem mais pobres que os pobres escravizados às tarefas de sacrifício.
Há ricos de possibilidades, tão ricos de egoísmo, que se fazem mais pobres que os pobres irmãos em amargas lutas expiatórias, que de tudo carecem para ajudar.
Há ricos de afeto, tão ricos de ciúme, que se fazem mais pobres que os pobres companheiros em prova rude, quando relegados à solidão.
Lembra-te, pois, de que todos somos ricos de alguma coisa ante o Suprimento Divino da Divina Bondade e, usando os talentos que a vida te confia na missão de fazer mais felizes aqueles que te rodeiam, chegará o momento em que te surpreenderás mais rico que todos os ricos da Terra, porquanto entesourarás no próprio coração a eterna felicidade que verte do amor de Deus.

Emmanuel

terça-feira, 26 de agosto de 2014

ESTUDO DO EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - Cap.3 - HÁ MUITAS MORADAS NA CASA DE MEU PAI / Diversas categorias de mundos habitados - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPIRITOS - ANDRÉ LUIZ (ZECH) - 26-08-2014

http://youtu.be/mcFjZk4ITZw

LIVRO " O ESPÍRITO DA VERDADE " - CHICO XAVIER E WALDO VIEIRA

PROVAS DECISIVAS
Cap. V – Item 19

Clamas contra o infortúnio que te visita e desespera-te, sem reação construtiva, ante as horas de luta.
Falaram-te do Senhor e dos aprendizes abnegados que o seguiram, nas horas primeiras, na senda marginada de prantos e sacrifícios...
Queres, porém, comungar-lhe a paz e viver em menor esforço...
Todavia, quase todos os grandes vultos da humanidade, em todas as épocas e em todos os povos, passaram pelo tempo das provas decisivas.
Senão observemos:
Cervantes ficou paralítico da mão esquerda e esteve preso sob a acusação de insolvente, mas sobrepairou acima da injúria e legou um tesouro à literatura da Terra.
Bernard Palissy experimentou tamanha pobreza que chegou, em certo momento, a queimar a mobília da própria casa, a fim de conseguir suficiente calor nos fornos em que fazia experiências; contudo, atingiu a perfeição que desejava em sua obra de ceramista.
Shakespeare sentiu-se em tão grande penúria, que se achou, um dia, a incendiar um teatro, tomado de desespero; entretanto, superou a crise e deixou no mundo obras-primas inesquecíveis.
Victor Hugo esteve exilado durante dezoito anos; todavia, nunca abandonou o trabalho e depôs o corpo físico, no solo de sua pátria, sob a admiração do mundo inteiro.
Faraday, na mocidade, foi compelido a servir na condição de ajudante de ferreiro, de modo a custear os próprios estudos; no entanto, converteu-se num dos físicos mais respeitados por todas as nações.
Hertz enfrentou imensa falta de recursos e foi vendedor de revistas para sustentar-se; entretanto, venceu as dificuldades e tornou-se um dos maiores cientistas mundiais.
De igual modo, entre os espíritas as condições de existência terrestre não têm sido outras.
Na França, Allan Kardec sofreu, por mais de uma década, insultuoso sarcasmo da maioria dos contemporâneos; contudo, jamais desanimou, entregando à posteridade o luminoso patrimônio da Codificação.
Na Espanha, Amália Domingo Sóler, ainda em plenitude das forças físicas, tolerou o suplício da fome, na flagelação da cegueira; todavia, nunca duvidou da Providência Divina, consagrando ao pensamento espírita a riqueza de suas páginas imortais.
No Brasil, Bezerra de Menezes, abdicando das fulgurações da política humana e, não obstante a posição de médico ilustre, partiu da Terra, em extrema necessidade material, o que não impediu a sua elevação ao título de Apóstolo.
Em razão disso, não te deixes vencer pelos obstáculos.
A resignação humilde, a misturar lágrimas e sorrisos, anseios e ideais, consolações e esperanças, constrói sobre a criatura invisível auréola de glória que se exterioriza em ondas de simpatia e felicidade.
Quando o carro de tua vida estiver transitando pelo vale da aflição, recorda a paciência e continua trabalhando, confiando e servindo com Jesus.

Lameira de Andrade

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

ESTUDO DO LIVRO DEPOIS DA MORTE DE LEON DENIS - *ALEM TUMULO ... CAP. 32 - A VONTADE E OS FLUÍDOS - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH) - 25-08-2014

http://youtu.be/dFcAMO4PdMQ

LIVRO " O ESPÍRITO DA VERDADE " - CHICO XAVIER E WALDO VIEIRA

MEDIUNIDADE E JESUS
Cap. VI – Item 7

Quem hoje ironiza a mediunidade, em nome do cristo, esquece-se, naturalmente, de que Jesus foi quem mais a honrou neste mundo, erguendo-a ao mais alto nível de aprimoramento e revelação, para alicerçar a sua eterna doutrina entre os homens.
É assim que começa o apostolado divino, santificando-lhe os valores na clariaudiência e na clarividência entre Maria e Isabel, José e Zacarias, Ana e Simeão, no estabelecimento da Boa Nova.
E segue adiante, enaltecendo-a na inspiração junto aos doutores do Templo; exaltando-a nos fenômenos de efeitos físicos, ao transformar a água em vinho, nas bodas de Caná; honorificando-a, nas atividades de cura, em transmitindo passes de socorro aos cegos e paralíticos, desalentados e aflitos, reconstituindo-lhes a saúde; ilustrando-a na levitação, quando caminha sobre as águas; dignificando-a nas tarefas de desobsessão, ao instruir e consolar os desencarnados sofredores por intermédio dos alienados mentais que lhe surgem à frente; glorificando-a na materialização, em se transfigurando ao lado de Espíritos radiantes, no cimo do Tabor, e elevando-a sempre, no magnetismo sublimado, seja aliviando os enfermos com a simples presença, revitalizando corpos cadaverizados, multiplicando pães e peixes para a turba faminta ou apaziguando as forças da natureza.
E, confirmando o intercâmbio entre os vivos da Terra e os vivos da Eternidade, reaparece, Ele mesmo, ante os discípulos espantados, traçando planos de redenção que culminam no dia de Pentecostes – o momento inesquecível do Evangelho –, quando os seus mensageiros convertem os Apóstolos em médiuns falantes, na praça pública, para esclarecimento do povo necessitado de luz.
Como é fácil de observar, a mediunidade, como recurso espiritual de sintonia, não se confunde com a Doutrina Espírita que expressa atualmente o Cristianismo Redivivo, mas, sempre que enobrecida pela honestidade e pela fé, pela educação e pela virtude, é o veículo respeitável da convicção na sobrevivência.
Assim, pois, não nos agastemos contra aqueles que a perseguem, através do achincalhe – tristes negadores da realidade cristã, ainda mesmo quando se escondam sob os veneráveis distintivos da autoridade humana –, porquanto os talentos medianímicos estiveram, incessantemente, nas mãos de Jesus, o nosso divino mestre, que deve ser considerado, por todos nós, como sendo o excelso médium de Deus.

Eurípedes Barsanulfo

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

O EVANGELHO NO LAR - "SIGAMOS A PAZ" - LIVRO FONTE VIVA - 22-08-2014 - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH)

http://youtu.be/C9i_-oJeQIE

LIVRO " O ESPÍRITO DA VERDADE " - CHICO XAVIER E WALDO VIEIRA

COMO VOCE MESMO
Cap. V – Item 13

Meu amigo, você clama contra as dificuldades do mundo, mas será que você já pensou nas facilidades em suas mãos?
Observemos:
Você concorre, em tempo determinado, para exonerar-se da multa legal, com expressiva taxa de consumo de luz e força elétricas; todavia, a usina solar que lhe fornece claridade, calor e vida, nem é assinalada comumente pela sua memória...
Você salda, periodicamente, largas contas relativas ao gasto de água encanada; no entanto, nem se lembra da gratuidade da água das chuvas e das fontes a enriquecer-lhe os dias...
Você estipendia na feira, com apreciáveis somas, todo gênero alimentício que lhe atenda ao paladar; contudo, o oxigênio – elemento mais importante a sustentar-lhe o organismo – é utilizado em seu sangue sem pesar-lhe no orçamento com qualquer preocupação...
Você resgata com a loja novos débitos, cada vez que renova o guarda-roupa, e, apesar disso, nunca inventariou os bens que deve ao corpo de carne a resguardar-lhe o Espírito...
Você remunera o profissional especializado pela adaptação de um só dente artificial: entretanto, nada despendeu para obter a dentadura natural completa...
Você compra a drágea medicamentosa para leve dor de cabeça; todavia, recebe de graça a faculdade de articular, instante a instante, os mais complicados pensamentos...
Você gasta quantias inestimáveis para assistir a esse ou aquele espetáculo esportivo ou à exibição de um filme; contudo, guarda sem sacrifício algum a possibilidade de contemplar o solo cheio de flores e o Céu faiscante de estrelas...
Você paga para ouvir simples melodia de um conjunto orquestral; no entanto, ouve diariamente a divina musica da natureza, sem consumir vintém...
Você desembolsa importâncias enormes para adquirir passagens e indenizar hospedarias, sempre que se desloca de casa; não obstante, passa-lhe despercebido o prêmio vultoso que recebeu com o próprio ingresso na romagem terrestre...
Não desespere e nem se lastime...
Atendamos à realidade, compreendendo que a alegria e a esperança, expressando créditos infinitos de Deus, são os motivos básicos da vida a erguer-se, a cada momento, por sinfonia maravilhosa.

André Luiz

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

ESTUDO DO EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - Cap.3 - HÁ MUITAS MORADAS NA CASA DE MEU PAI - Diferentes Estados da Alma na Erraticidade - PARTE 2 - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPIRITOS - ANDRÉ LUIZ (ZECH) - 21-08-2014

http://youtu.be/SIzJiSePgnk

LIVRO " O ESPÍRITO DA VERDADE " - CHICO XAVIER E WALDO VIEIRA

JESUS SABE
Cap. XII – Item 7

Disseste “não ajudo, porque esse homem é pervertido” e de outra feita, afirmaste “não auxilio, que essa mulher errou por querer”...
Não te lembraste, porém, que Jesus, antes, lhes viu a falta e nem por isso lhes cortou o ensejo à necessária reparação.
Não percas tempo em procurar o mal, emprega atenção em socorrer-lhe as vítimas.
Diante desse ou daquele acontecimento amargo, sempre mais do que nós, Jesus sabe...
Conhece o Divino Amigo onde se esconde o verme do vício, como também onde se oculta a farpa da crueldade.
Em razão disso, não te buscaria para relacionar as úlceras alheias nem para conferir os espinhos da estrada.
Se alguém prefere mergulhar na sombra, dize contigo:
– “Jesus sabe.”
Se alguém te não escuta a palavra de amor, nota em silêncio:
– “Jesus sabe.”
Se alguém surge enganado aos teus olhos, pensa convicto:
– “Jesus sabe.”
Se alguém foge de cumprir o dever, observa de novo:
– “Jesus sabe.”
Faze o bem que puderes e, entregando a justiça à harmonia da lei, entenderás, por fim, que Jesus nos chamou para fazer luzir a estrela da caridade onde a vida padeça o insulto da escuridão.

Meimei

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

ESTUDO DO LIVRO DEPOIS DA MORTE DE LEON DENIS- *ALEM TUMULO ...CAPs. 31 - O JULGAMENTO, 32 - A VONTADE E OS FLUÍDOS - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH) - 20-08-2014

http://youtu.be/3-p8liuwTLI

LIVRO " O ESPÍRITO DA VERDADE " - CHICO XAVIER E WALDO VIEIRA

O PRIMEIRO
Cap. VII – Item 3

“E qualquer que entre vós quiser ser o primeiro seja vosso servo.” – Jesus. (Mateus, 20: 27)

Nos variados setores da experiência humana, encontramos as mais diversas criaturas a buscarem posições de destaque e postos de diretiva.
Há pessoas que enveredam pelas sendas do comércio e da indústria, em corrida infrene por se elevarem nas asas frágeis da posse efêmera.
Muitas elegem a tirania risonha no campo social, para se afirmarem poderosas e dominantes.
Outras pontificam através do intelecto, usando a Ciência como apoio da autoridade que avocam para si mesmas.
Temos ainda as inteligências que, em nome da inovação ou da arte, se declaram francamente partidárias da delinquência e do vício, para sossegarem as próprias ânsias de fulguração nas faixas da influência.
Todas caminham subordinadas às mesmas leis, elevando-se hoje, para descer amanhã.
O império econômico, a autoridade terrestre ou o intelectualismo sistemático possibilitam a projeção da criatura no cenário humano, à feição de luz meteórica, riscando, instantaneamente, a imensidade dos céus.
Em piores circunstâncias, aquele que preferiu o brilho infernal do crime, esbarra, em breve tempo, com a dureza de si mesmo, sendo constrangido a reunir os estilhaços da vida, provocados por suas ações lamentáveis, na recomposição do destino próprio.
Grande maioria toma a aparência do comando como sendo a melhor posição, e raros chegam a identificar, no anonimato da posição humilde, o posto de carreira que conduz a alma aos altiplanos da Criação.
Apesar de tudo, porém, a verdade permanece imutável.
A liderança real, no caminho da vida, não tem alicerces em recursos amoedados.
Não se encastela simplesmente em notoriedade de qualquer natureza.
Não depende unicamente de argúcia ou sagacidade.
Nem é fruto da erudição pretensiosa.
A chefia durável pertence aos que se ausentam de si mesmos, buscando os semelhantes para servi-los...
Esquecendo as luzes transitórias da ribalta do mundo...
Renunciando à concretização de sonhos pessoais em favor das realizações coletivas...
Obedecendo aos estímulos e avisos da consciência...
E por amar a todos sem reclamar amor para si, embora na condição de servo de todos, faz-se amado da vida, que nele concentra seus interesses fundamentais.

Emmanuel

terça-feira, 19 de agosto de 2014

ESTUDO DO EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - Cap.3 - HÁ MUITAS MORADAS NA CASA DE MEU PAI - Diferentes Estados da Alma na Erraticidade - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPIRITOS ANDRÉ LUIZ (ZECH) - 19-08-2014

http://youtu.be/FxdvunkZ6cY

LIVRO " O ESPÍRITO DA VERDADE " - CHICO XAVIER E WALDO VIEIRA

MOEDA E MOENDA
Cap. XVI – Item 1

Moeda é peça que representa dinheiro.
Moenda é peça que mói alguma coisa.
Moeda é força que valoriza.
Moenda é força que transforma.
Moeda é finança.
Moenda é ação.
Moeda é possibilidade.
Moenda é suor.
Moeda é recurso.
Moenda é utensílio.
A moeda apóia.
A moenda depura.
A moeda abona.
A moenda prepara.
Moeda parada é promessa estanque.
Moenda inerte é instrumento inútil.
Moeda mal dirigida traz sofrimento.
Moenda mal governada gera desastre.
Movimente a moeda nas boas obras e melhorará sua vida.
Acione a moenda no serviço e terá mesa farta.
A moeda é a moenda de seu caminho.
Lance hoje a sua moeda, na moenda do bem, praticando os seus ideais de trabalho e progresso, educação e caridade, e encontrará você amanhã preciosas colheitas de simpatia e cooperação, alegria e luz.

Hilário Silva

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

ESTUDO DO LIVRO DEPOIS DA MORTE DE LEON DENIS - ALEM TUMULO ... CAPS. 29 - O HOMEM, SER PSÍQUICO 30 - A HORA FINAL - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS ... EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH) 18-08-2014

http://youtu.be/Plxa4q8Rn-w

LIVRO " O ESPÍRITO DA VERDADE " - CHICO XAVIER E WALDO VIEIRA

INDULGENCIA
Cap. X – Item 16

A luz da alegria deve ser o facho continuamente aceso na atmosfera das nossas experiências.
Circunstâncias diversas e principalmente as de indisciplina podem alterar o clima de paz, em redor de nós, e dentre elas se destaca a palavra impensada como forja de incompreensão, a instalar entrechoques.
Daí o nosso dever básico de vigiar a nós mesmos na conversação, ampliando os recursos de entendimento nos ouvidos alheios.
Sejamos indulgentes.
Se erramos, roguemos perdão.
Se outros erraram, perdoemos.
O mal que desejarmos para alguém, hoje, suscitará o mal para nós, amanhã.
A mágoa não tem razão justa e o perdão anula os problemas, diminuindo complicações e perdas de tempo.
É assim que a espontaneidade no bem estabelece a caridade real.
Quem não reconhece as próprias imperfeições demonstra incoerência.
Quem perdoa desconhece o remorso.
Ódio é fogo invisível na consciência.
O erro, por isso, não pede aversão, mas, entendimento.
O erro nosso requer a bondade alheia; erro de outrem reclama a clemência nossa.
A Humanidade dispensa quem a censure, mas necessita de quem a estime.
E ante o erro, debalde se multiplicam justificações e razões.
Antes de tudo, é preciso refazer, porque o retorno à tarefa é a conseqüência inevitável de toda fuga ao dever.
Quanto mais conhecemos a nós mesmos, mais amplo em nós o imperativo de perdoar.
Aprendamos com o Evangelho, a fonte inexaurível da Verdade.
Você, amostra da grande prole de Deus, carece do amparo de todos e todos solicitam-lhe amparo.
Saiba, pois, refletir o mundo em torno, recordando que o espelho, inerte e frio, retrata todos os aspectos dignos e indignos à sua volta, o pintor, consciente, buscando criar atividade superior, somente exterioriza na pureza da tela os ângulos nobres e construtivos da vida.

André Luiz

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

O EVANGELHO NO LAR - "ENXERTIA DIVINA" - LIVRO FONTE VIVA - 15-08-2014 - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH)

http://youtu.be/OAufrb-nVjQ

LIVRO " O ESPÍRITO DA VERDADE " - CHICO XAVIER E WALDO VIEIRA

ENCONTRO MARCADO
Cap. VIII – Item 19

Quando a aflição lhe bateu à porta, o discípulo tomou as notícias do Senhor e leu-lhe a promessa divina: – “Estarei convosco até ao fim dos séculos...”
Acendeu-se-lhe a esperança na alma.
E, certa manhã, partiu à procura do Mestre, à feição da corça transviada no deserto, quando suspira pela fonte das águas vivas.
Entrou num templo repleto de luzes faiscantes, onde se venerava a memória; todavia, não obstante sentir que a fé aí brilhava entre cânticos reverentes e flores devotas, não encontrou o Divino Amigo.
Buscou-o nos vastos recintos, onde se lhe pronunciava o nome com inflexão de supremo respeito; contudo, apesar de surpreender-lhe o ensinamento puro, no verbo daqueles que sobraçavam dourados livros, não lhe anotou a presença.
Na jornada exaustiva, gastou as horas... Em vão, atravessou portadas e colunas, altares e jardins.
Descia, gélida, a noite, quando escutou os gemidos de uma criança doente, abandonada à sarjeta.
Ajoelhando-se, asilou-a amorosamente na concha dos próprios braços. Ao levantar os olhos, viu Jesus, diante dele, e, fremente, bradou:
– Mestre! Mestre!...
O Excelso Benfeitor afagou-lhe a cabeça fatigada, como quem lhe expungia toda a chaga de angústia, e falou, compassivo:
– Realmente, filho meu, estarei com todos e em toda parte, até ao fim dos séculos; no entanto, moro no coração da caridade, em cuja luz tenho encontro marcado com todos os aprendizes do bem eterno...
Debalde, tentou o discípulo reter o Senhor de encontro ao peito...
Através da neblina, espessa das lágrimas a lhe inundarem o rosto mudo, reparou que a celeste visão se diluía no anilado fulgor do céu vespertino, mas, na acústica do próprio ser, ressoavam para ele agora as palavras inesquecíveis:
– Toda vez que amparardes a um desses pequeninos, por amor de meu nome, é a mim que o fazeis...

Meimei