segunda-feira, 30 de março de 2015

ESTUDO DO LIVRO A GÊNESE - Capítulo III - O Bem e o Mal - O Instinto e a Inteligência (3) - JDE - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH) 30-03-2015

http://youtu.be/Svlhp_2Xn9A

LIVRO "A CAMINHO DA LUZ" PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER PELO ESPIRITO DE EMMANUEL

O povo de Israel
ISRAEL

Dos Espíritos degredados na Terra, foram os hebreus que constituíram a  raça mais forte  e  mais  homogênea,  mantendo  inalterados  os  seus  caracteres  através  de todas  as mutações. Examinando  esse  povo  notável  no seu  passado  longínquo,  reconhecemos  que,  se grande  era  a  sua  certeza  na  existência  de  Deus,  muito  grande  também  era  o  seu  orgulho, dentro de suas concepções da verdade e da vida. Consciente  da  superioridade  de  seus valores,  nunca  perdeu  oportunidade  de demonstrar a sua vaidosa aristocracia espiritual, mantendo-se  pouco acessível à  comunhão perfeita com as demais raças do orbe. Entretanto, em honra da verdade,  somos obrigados a reconhecer  que  Israel,  num  paradoxo  flagrante, antecipando-se  às  conquistas  dos  outros povos, ensinou de todos os tempos a fraternidade, a par de  uma fé soberana e imorredoura. Sem  pátria  e  sem  lar,  esse  povo heroico  tem  sabido  viver  em  todos  os  climas  sociais  e políticos,  exemplificando  a solidariedade  humana  nas  melhores  tradições  de  trabalho;  sua existência  histórica,  contudo,  é  uma  lição  dolorosa  para  todos  os  povos  do  mundo,  das consequências nefastas do orgulho e do exclusivismo.

sexta-feira, 27 de março de 2015

O EVANGELHO NO LAR - " SIRVAMOS AO BEM " - LIVRO FONTE VIVA - 27-03-2015 - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH)

http://youtu.be/swJ5dJ0JG6o

LIVRO "A CAMINHO DA LUZ" PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER PELO ESPIRITO DE EMMANUEL

AS ADVERTÊNCIAS DO CRISTO

A  sua  confraternização  com  os  terrícolas  primários, encontrados  no  seu  caminho, constitui uma divida sagrada da Humanidade para com os seus labores planetários. O Senhor da  semeadura  e  da  seara  não  lhes  desconhece  essa  grande  virtude  e  é  por  isso  que  as exortações de toda natureza são por ele enviadas do Alto, nos  tempos que correm, às nações europeias, a fim de que se preservem do extermínio e  da destruição terrestre, arrancando-as do  primitivismo  para  um  elevado  nível  de  aperfeiçoamento  nos  grandes  trabalhos construtivos da evolução global; se erraram  muito, foram igualmente muito sinceras, porque a  sua  inquietação  era  por  levantar  um  novo  paraíso  para  si  mesmas  e  para  os  homens terrestres,  com  cujas  famílias  fraternizaram-se  desde  o  princípio.  Faltaram-lhes  os  valores espirituais  de  uma  perfeita  base  religiosa,  situação  essa  para  a  qual  concorreram, inegavelmente,  na  utilização  do  livre-arbítrio;  mas  o  Cristo,  nas  dolorosas  transições  deste século, há de  amparar-lhes  as expressões mais dignas e mais puras, espiritualmente falando, e, no  momento psicológico das grandes transformações, o fruto de suas atividades  fecundas há de ser aproveitado, como a semente nova, para a civilização do porvir.

quinta-feira, 26 de março de 2015

ESPIRITISMO DE KARDEC - "TEMA-LIVRE" - www.virtual.espiridigi.net 26-03-2015 - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH)

http://youtu.be/MKFI37ITDaA

LIVRO "A CAMINHO DA LUZ" PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER PELO ESPIRITO DE EMMANUEL

ORIGEM DO RACIONALISMO

Os arianos  da Europa, como ficou  esclarecido,  não possuíram grandes  ascendentes religiosos  na  sua  formação  primitiva,  em  vista  do  senso  prático  que  os  caracterizou  nos primeiros tempos de sua organização. O racionalismo de suas concepções, a tendência para as ciências positivas e  o amor pela  hegemonia  e  liberdade  são,  dessa  maneira,  elucidados  dentro  da  análise  dos  seus primórdios.  Em  matéria  de  religião,  quase  todos  os  seus  passos  foram  orientados  pelos povos  semitas  e  hindus,  mas,  pelo  cultivo  da  razão,  puderam  aperfeiçoar  a  Ciência  até  às culminâncias das conquistas modernas. O  mundo,  se  muitas  vezes  perdeu  com  as  suas  inquietações  e  com  as  suas  lutas renovadoras, muito lhes deve pela colaboração decidida e sincera no labor do  pensamento, em todas as épocas e períodos evolutivos.

quarta-feira, 25 de março de 2015

ESTUDO DO LIVRO A GÊNESE - Capítulo III - O Bem e o Mal Origem do bem e do mal - JDE - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH) - 25-03-2015 (2)

http://youtu.be/W2uivnO6IwY

LIVRO "A CAMINHO DA LUZ" PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER PELO ESPIRITO DE EMMANUEL

OS NÓRDICOS E OS MEDITERRÂNICOS

O fenômeno das trocas e os primeiros impulsos comerciais levantam,  todavia, longa série  de  barreiras  entre  as  relações  desses  povos.  De  um  lado,  estavam  os nórdicos  e  de outro  permaneciam  os  mediterrânicos,  em  luta  acérrima  e  constante.  A  rivalidade  acende nessas duas facções os fogos da guerra, sob os céus tranquilos do Velho Mundo. Uns e outros empunham as armas primitivas para as lutas de extermínio e destruição das hostes inimigas, e a linha divisória dos litigantes se  alonga justamente no local onde hoje se traçam os limites da França e da Alemanha contemporâneas. É como se explica essa intensidade de aversão racial entre as duas nações,  contadas entre  as  mais  progressistas  e operosas  do  planeta.  Tal  situação  psicológica  entre  ambas haveria de  tornar-se  em  fatalidade  histórica,  oriunda  dos  atritos  entre  o  Germanismo  e  a Latinidade,  nas  épocas  primitivas.  O  que  se  não  justifica,  porém,  é  a  perpetuação  dessas 
animosidades  no  curso  do  tempo,  pelo  que  se  impõe, como  imperativo  constante,  a concentração de todos os pensamentos no objetivo da fraternidade geral.

terça-feira, 24 de março de 2015

ESTUDO DO EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - Cap. 9 – BEM-AVENTURADOS OS MANSOS E PACÍFICOS - INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS: II – A Paciência - JDE - (ZECH) - 24-03-2015

http://youtu.be/9qbwegOYxms

LIVRO "A CAMINHO DA LUZ" PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER PELO ESPIRITO DE EMMANUEL

O MEDITERRÂNEO E O MAR DO NORTE

Por essa época, novos fenômenos geológicos abalam a vida do globo. Precisava Jesus estabelecer  as  linhas  definitivas  da  grande  civilização,  cujos  primórdios  se  levantavam;  e dessas convulsões físicas do orbe surgem renovações  que definem o Mediterrâneo e o Mar do Norte, fixando-se os limites da ação daqueles núcleos de operários da evolução coletiva. O  Cristo  sabia  valorizar  a  atividade  da  família  indo-europeia,  que,  se  era  a  mais revoltada  contra  os  desígnios  do  Alto,  era  também  a  única  que  confraternizava   com  o selvagem,  aperfeiçoando-lhe  os  caracteres  raciais,  sem  esmorecer  na  ação  construtiva  das oficinas do porvir. Através dos milênios, aliviou-lhe  os pesares no  caminho sobrecarregado de  lutas  e  dores  tenazes.  Assim,  enviou-lhe  emissários  em  todas  as  circunstâncias, atendendo-lhe  os  secretos  apelos  do  coração,  no  labor  educativo  das  tribos  primitivas  do continente. Suavizou-lhe  a revolta e a amargura,  ajudando a reconstruir  o templo da fé, na esteira  das  gerações.  Nos  bosques  da  Armórica,  os  celtas  antigos  levantaram  os  altares  da crença  entre  as  árvores  sagradas  da  Natureza.  Doces  revelações  espirituais  caem  na  alma desse  povo  místico  e  operoso,  que,  muito  antes  dos  saxões,  povoou  as  terras  da  Grã-Bretanha. A reencarnação de numerosos auxiliares do Mestre, em seus labores  divinos, opera uma  nova  fase  de  evolução  no  seio  da  família  indo-europeia,  já  caracterizada  pelas  mais diversas expressões raciais. Enquanto os germanos criam novas modalidades de progresso, o Lácio se ergue na Itália Central, entre a Etrúria e  a Campânia; a Grécia se povoa de mestres e cantores,  e  todo  o  Mediterrâneo  oriental  evolve  com  o  uso  da  escrita,  adquirido  na convizinhança das civilizações mais avançadas.

segunda-feira, 23 de março de 2015

ESTUDO DO LIVRO A GÊNESE - Capítulo III - O Bem e o Mal - Origem do bem e do mal - JDE - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH) - 23-03-2015 (1)

http://youtu.be/O54yRQyI4wI

LIVRO "A CAMINHO DA LUZ" PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER PELO ESPIRITO DE EMMANUEL

A GRANDE VIRTUDE DOS ÁRIAS EUROPEUS

A misericórdia do Cristo, porém, jamais deixou de acompanhar esse grande  povo no seu  atribulado  desterro.  Ao  influxo  dos  seus  emissários,  as  massas  migratórias  da  Ásia  se dividiram em grupos diversos, que penetraram na Europa,  desde o Peloponeso até as vastas regiões  da  Rússia,  onde  se  encontram  os  antepassados  dos  gregos,  latinos,  samnitas, úmbrios,  gauleses,  citas,  iberos,  romanos,  saxônios,  germanos,  eslavos.  Essas  tribos. assimilaram  todos  os  elementos  encontrados  em  seus  caminhos,  impulsionando-lhes os passos  nas  sendas  do  progresso  e  do aperfeiçoamento.  Enquanto  os  semitas  e  hindus  se perderam  na  cristalização  do  orgulho  religioso,  as  famílias arianas  da  Europa,  embora revoltadas  e  endurecidas,  confraternizaram  com  o  selvagem  e  nisso  reside  a  sua  maior virtude. Assimilando  os  aborígenes,  engendraram  as  premissas  de  todos  os  surtos  das civilizações  futuras.  Nessa  movimentação  para  o  estabelecimento  de  novo  habitat, organizaram  as  primeiras  noções  políticas  da  vida  coletiva,  elegendo  cada  tribo  um  chefe para  a  direção  de  sua  vida  em  comum.  A  agricultura,  as  indústrias  pastoris,  com  elas encontraram  os  primeiros  impulsos  nas  estradas  incertas  dos  que  descendiam  do  primata europeu.  Com  as  organizações  econômicas,  oriundas  do  trato  direto  com  o  solo,  deixaram perceber  a  lembrança  de  suas  lutas  no  antigo  mundo  que  haviam  deixado.  Bastou  que inaugurassem  na  Terra  o  senso  da  propriedade,  para  que  o  germe  da  separatividade  e  do ciúme, da ambição e do egoísmo lhes destruísse os esforços benfazejos...
As rivalidades entre as tribos, na vida comum, induziram-nas aos primeiros  embates
fratricidas.

sexta-feira, 20 de março de 2015

O EVANGELHO NO LAR - " SOIS A LUZ " - LIVRO FONTE VIVA - 20-03-2015 - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH)

http://youtu.be/7LKsJyZui20

LIVRO "A CAMINHO DA LUZ" PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER PELO ESPIRITO DE EMMANUEL

A AUSÊNCIA DE NOTÍCIAS HISTÓRICAS

Aí  reside  a  razão  do  escasso  conhecimento  dos  historiadores,  acerca  dos  árias primitivos que lançaram os marcos da civilização europeia. Caminheiros  do  desconhecido  erraram  pelas  planícies  e  montanhas  desertas,  não como o povo hebreu, que guardava a palavra divina com a sua fé, mas  desarvorados e sem esperança,  contando  apenas  com  as  próprias  forças,  em  virtude  do  seu  caráter  livre  e insubmisso. Suas  incursões,  entre  as  tribos  selvagens  da  Europa,  datam  de  mais  ou  menos  dez milênios antes da vinda do Cristo, não obstante a humanidade localizar-lhe  a marcha apenas quatro  mil  anos  antes  do  grande acontecimento  da  Judeia.  É  que,  em  vista  de  sua  situação psicológica, os primitivos árias do Velho Mundo não  deixaram vestígios nos domínios da fé, único caminho, daqueles tempos, através do  qual poderia uma raça assinalar sua passagem pela  Terra.  Não  guardavam  a  história  verbal  de  uma  religião  que  não  possuíam.  Mais revoltados e enrijecidos que todos os  demais companheiros exilados no orbe terrestre, suas reminiscências  da  vida  pregressa  nos  planos  mais  elevados,  qual  a  que  haviam experimentado  no  sistema  da  Capela,  traduziam-se  numa  revolta  íntima,  amargurada  e dolorosa,  contra  as  determinações  de  ordem  divina.  Apenas  muito  mais  tarde,  com  a contribuição  dos  milênios,  os  celtas  retornaram  ao  culto  divino,  venerando  as  forças  da Natureza,  junto dos carvalhos sagrados, e os germanos iniciaram a sua devoção a o fogo, que personificava, a seus olhos, a potência criadora dos seres e das coisas, enquanto outros povos começaram a sacrificar vítimas e objetos aos seus numerosos deuses.

quinta-feira, 19 de março de 2015

LIVRO "A CAMINHO DA LUZ" PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER PELO ESPIRITO DE EMMANUEL

A família indo-europeia
AS MIGRAÇÕES SUCESSIVAS

Se  as  civilizações  hindu  e  egípcia  definiram-se  no  mundo  em  breves  séculos,  o mesmo não aconteceu com a civilização ariana, que ia iniciar na Europa  os seus movimentos evolutivos.  Somente  com  o  escoar  de  muitos  séculos  regularizaram-se  as  suas  migrações sucessivas, através dos planaltos  da Pérsia. Do Irá procederam quase  todas as correntes da raça  branca,  que  representariam  mais  tarde  os  troncos  genealógicos  da  família  indo-europeia. Conforme afirmávamos, os arianos que procuravam as novas emoções de  uma terra desconhecida  eram,  na  sua  maioria,  os  Espíritos  revoltados  com  as  condições  do  seu degredo; pouco afeitos aos misteres religiosos que, pela força das  circunstâncias, impunham uma  disciplina  de  resignação  e  humildade,  não  cuidaram  da  conservação  do  seu tradicionalismo,  na  ânsia  de  conquistar  um  novo  paraíso  e  serenarem,  assim,  as suas inquietações angustiosas.

quarta-feira, 18 de março de 2015

ESTUDO DO LIVRO A GÊNESE - Capítulo II - Deus - A Providência (5) - JDE - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH) - 18-03-2015

http://youtu.be/8T6kq5RdZps

LIVRO "A CAMINHO DA LUZ" PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER PELO ESPIRITO DE EMMANUEL

EM FACE DE JESUS

Nos  bastidores  da  civilização,  somos  compelidos  a  reconhecer  que  a  Índia  foi  a matriz  de  todas  as  filosofias  e  religiões  da  Humanidade,  inclusive  do  materialismo,  que  lá nasceu na escola dos charvacas. Um  pensamento  de  gratidão  nos  toma  o  íntimo,  examinando  a  sua  grandeza espiritual e as suas belezas misteriosas, mas, acima  dos seus iogues e de seus  “mahatmas”, temos de colocar a figura luminosa d'Aquele  que  é a luz do mundo e  cuja vinda à  Terra se verificaria para trazer a palma da concórdia e da fraternidade,  para todos os corações e para todos  os  povos,  arrasando  as  fronteiras  que  separam  os  espíritos  e  eliminando  os  laços ferrenhos das castas sociais, para que o amor das almas substituísse o preconceito de raça no seu reinado sem fim.

terça-feira, 17 de março de 2015

LIVRO "A CAMINHO DA LUZ" PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER PELO ESPIRITO DE EMMANUEL

OS RAJÁS E OS PÁRIAS

Na  verdade,  esses  sistemas  avançados  de  religião  e filosofia  evocam  o  fastígio  da raça  no  seu  mundo  de  origem,  de  onde  foi  precipitada  ao  orbe  terreno  pelo  seu  orgulho desmedido e infeliz.  Os arianos da Índia, porém, não se compadeceram das raças atrasadas que encontraram em seu caminho e cuja evolução devia representar para eles um imperativo de trabalho regenerador na face da Terra; os aborígenes foram  considerados como os párias da  sociedade,  de  cujos  membros  não  podiam  aproximar-se  sem  graves  punições  e  severos castigos. Ainda hoje, o espírito iluminado de Gandhi , que é obrigado a agir na esfera  da mais atenciosa psicologia dos seus irmãos de  raça, não conseguiu eliminar esses  absurdos sociais do seio do grande povo de iniciados e profetas. Os párias são a ralé  de todos os seres e são obrigados a dar um sinal de alarme quando passam por qualquer caminho, a fim de que os venturosos se afastem do eu contágio maléfico. A  realidade,  contudo,  é  que  os  rajás soberanos,  ao  influxo  da  misericórdia  do Cristo, voltam às mesmas estradas que transitaram sobre o dorso dos elefantes  ajaezados de pedrarias, como mendigos desventurados, resgatando o pretérito  em  avatares de amargas provações  expiatórias.  Os  que  humilharam  os  infortunados,  do  alto  de  seus  palácios resplandecentes, volvem aos mesmos caminhos, cheios de  chagas cancerosas, exibindo a sua miséria e a sua indigência. E  o  que  é  de  admirar-se  é  que  nenhum  povo  da  Terra  tem  mais  conhecimentos, acerca da reencarnação, do que o hindu, ciente dessa verdade  sagrada desde os primórdios da sua organização neste mundo.

segunda-feira, 16 de março de 2015

ÁUDIOBOOK - O HOMEM QUE FALAVA COM ESPÍRITOS

ESTUDO DO LIVRO A GÊNESE - Capítulo II - Deus - A Providência (4) - JDE - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH) - 16-03-2015

http://youtu.be/IaiEfq28q1o

LIVRO "A CAMINHO DA LUZ" PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER PELO ESPIRITO DE EMMANUEL

AS CASTAS

O povo hindu, não obstante o seu elevado grau de desenvolvimento nas  ciências do Espírito, não aproveitou de modo geral, como devia, o seu acervo de  experiências sagradas. Seus  condutores  conheciam  as  elevadas finalidades da  vida.  Lembravam-se  vagamente  das promessas do Senhor, anteriores à sua reencarnação para os trabalhos do penoso degredo. A prova disso é que eles abraçaram todos os grandes missionários do pretérito, vendo neles os avatares do seu Redentor. Viasa foi  instrumento das lições do Cristo, seis mil anos antes do Evangelho,  cuja  epopeia,  em  seus  mínimos  detalhes,  foi  prevista  pelos  iniciados  hindus, alguns milênios antes da organização da Palestina. Krishna, Buda e outros grandes enviados de  Jesus  ao  plano  material,  para  exposição  de  suas  verdades  salvadoras,  foram compreendidos pelo  grande povo sobre cuja fronte derramou o Senhor, em todos os tempos, as  claridades  divinas  do  seu  amor  desvelado  e  compassivo.  Mas,  como  se  a  questão  fosse determinada por um doloroso atavismo psíquico, o povo hindu, embora as suas  tradições de espiritualidade,  deixou  crescer  no  coração  o  espinho  do  orgulho  que,  aliás,  dera  motivo  ao seu exílio na Terra. Em  breve,  a  organização  das  castas separava  as  suas  coletividades  para  sempre. Essas castas não se constituíam num sentido apenas hierárquico, mas com a  significação de 
uma superioridade orgulhosa e absoluta. As fortes raízes de uma  vaidade poderosa dividem os espíritos no campo social e religioso. Os filhos  legítimos do país dão-se  o nome de árias, designação original de sua raça primitiva,  e o seu sistema religioso, de modo geral, chama-se "Ária-Darma",  que eles afirmam  trazer de sua longínqua origem, e em cujo seio não existem comunidades especiais  ou  autoridade  centralizadora,  senão  profunda  e  maravilhosa liberdade de sentimento.

sexta-feira, 13 de março de 2015

O EVANGELHO NO LAR - " DIANTE DA MULTIDÃO " - LIVRO FONTE VIVA - 13-03-2015 - SALA JESUS E A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS - EXPOSITOR: ANDRÉ LUIZ (ZECH)

http://youtu.be/4TlxLHhaXg0

LIVRO "A CAMINHO DA LUZ" PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER PELO ESPIRITO DE EMMANUEL

OS MAHATMAS

Da  região  sagrada  do  Ganges  partiram  todos  os  elementos irresignados  com  a situação  humilhante  que  o  degredo  da Terra  lhes  infligia.  As  arriscadas  aventuras forneceriam uma  noção  de  vida  nova  e  aqueles  seres  revoltados  supunham  encontrar   o esquecimento de sua posição nas paisagens renovadas dos caminhos; lá ficaram,  apenas, as almas resignadas  e  crentes  nos  poderes  espirituais  que  as conduziriam  de  novo  às magnificências dos seus paraísos perdidos e distantes. Os  cânticos  dos  Vedas  são  bem  uma  glorificação  da  fé  e  da  esperança,  em  face  da  Majestade  Suprema  do  Senhor  do  Universo.  A  faculdade  de  tolerar  e  esperar  aflorou  no sentimento  coletivo  das  multidões,  que  suportaram  heroicamente  todas  as  dores  e aguardaram o momento sublime da redenção. Os  mahatmas criaram  um  ambiente  de  tamanha  grandeza  espiritual  para  o  seu povo, que, ainda hoje, nenhum  estrangeiro visita a terra sagrada da Índia sem de lá trazer  as mais  profundas  impressões  acerca  de  sua  atmosfera  psíquica.  Eles  deixaram  também,  ao mundo, as  suas mensagens de amor, de esperança e de estoicismo resignado, salientando-se que  quase  todos  os  grandes  vultos  do  passado  humano,  progenitores  do  pensamento contemporâneo, deles aprenderam as lições mais sublimes.

quinta-feira, 12 de março de 2015

ESTUDO DO EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - Cap. 9 – BEM-AVENTURADOS OS MANSOS E PACÍFICOS - INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS: I – A Afabilidade e a Doçura - JDE - (ZECH) 12-03-2015

http://youtu.be/embM2U0XEAw

LIVRO "A CAMINHO DA LUZ" PSICOGRAFADO POR CHICO XAVIER PELO ESPIRITO DE EMMANUEL

O EXPANSIONISMO DOS ÁRIAS

Muitos  séculos  antes  de  qualquer  prenúncio  de civilização terrestre,  os  árias espalharam-se  pelas planícies  hindus, dominando  os  autóctones,  descendentes os “primatas”,  que possuíam  uma  pele  escura  e  deles se distanciavam  pelos mais   destacados caracteres físicos e psíquicos. Mais tarde, essa onda expansionista  procurou localizar-se  ao longo  das terras  da  futura  Europa, estabelecendo  os  primeiros fundamentos  da  civilização ocidental nos bosques da Grécia, nas costas da Itália e da França, bem como do outro lado do Reno, onde iam ensaiar seus primeiros passos as forças da sabedoria germânica. As balizas da sociedade dos gregos, dos latinos, dos celtas e dos germanos  estavam lançadas.  Cada corrente da raça ariana assimilou os elementos encontrados, edificando-se  os primórdios  da  civilização  europeia;  cada qual  se  baseou no  princípio  da  força  para  o necessário estabelecimento e, muito cedo, começaram no  Velho Mundo os choques de suas famílias e tribos.